O criptomercado tem contribuído para a reconstrução de economias ao redor do mundo. De acordo com as informações divulgadas, usinas elétricas construídas na Sibéria Oriental durante a Guerra Fria para alimentar as fábricas soviéticas estão sendo utilizadas como fazendas de mineração de bitcoins. 

Após o colapso da URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas), diversas partes do setor industrial murcharam com o caos da economia, causando o fechamento de muitas indústrias. De acordo com representante de uma empresa de mineração, o excedente de energia elétrica na Rússia é enorme devido ao fechamento das usinas soviéticas e à eficiência de consumo de energia alcançada através dos anos. 

Então as fazendas foram instaladas em Bratsk, uma cidade industrial localizada à margem do Rio Angara. O local foi estrategicamente escolhido considerando as baixas temperaturas da região, o que mantêm os custos de resfriamento baixos e a abundante e barata eletricidade das usinas. 

O resultado da escolha é que as fazendas de mineração de bitcoin na Rússia agora possuem capacidade conjunta de 600 megawatts, representando quase 10% do total de 7 gigawatts de energia que dão suporte à rede de bitcoin em todo o mundo. Em comparação com a China, capital da mineração do mundo, as fazendas da Rússia representam cerca de 60% total de potência da rede.