Recentemente Max Keiser, co-fundador da Heisenberg Capital – empresa que integra as melhores equipes de tecnologias do segmento das criptomoedas – anunciou a previsão de um possível aumento da taxa de hash do bitcoin, que poderá alcançar 100 quintilhões de hashes por segundo.  

Em setembro deste ano a taxa já havia atingido 94 quintilhões, e vem aumentando consecutivamente. Este aumento repentino pode dificultar as ações de mineração dos investidores, que consiste no processo de adicionar novos registros de transações de bitcoin em seu livro-razão. 

Fonte: blockchain.com 

A informação foi divulgada através da conta oficial do Twitter de Max, que informou que “o hash #Bitcoin está definido para quebrar 100 Q. Isso começará a se tornar um problema para a autorização, já que os data centers dedicados à manutenção de sistemas de autorização são puxados para o buraco negro do BTC de verdadeiro valor”. 

O que é a taxa de hash? 

Ela é uma unidade de medida utilizada para analisar a capacidade de processamento da rede do bitcoin, sendo responsável por realizar todos os cálculos matemáticos das operações de segurança.  

Além de estar relacionada à energia utilizada em cada transação. De acordo com o site Blockchain, a taxa de hash é descrita como: “o número estimado de tera hashes por segundo (trilhões de hashes por segundo) que a rede Bitcoin está executando”.