Em um artigo de opinião do Wall Street Journal em 15 de outubro, o ex-presidente da Commodity Futures Trading Commission ( CFTC), argumentou que o dólar poderia perder status no futuro.

Seguir a tendência para não tornar-se um refém

Para ele, isso se deve especificamente ao fato de outros países lançarem moedas digitais. A resposta, ele argumentou, é criar uma forma de dólar.

“Propomos um dólar digital – um protocolo blockchain sancionado pelo governo, criado e mantido por um grupo não governamental independente, mas administrado por bancos e outras organizações de pagamento confiáveis”, explicou.

E completou:

“O dinheiro trazido para o sistema seria trocado por dólares americanos digitais em uma blockchain, com o dinheiro depositado em contas de depósito especial mantidas pelo Federal Reserve.”

Descentralizado, mas nem tanto

Ao contrário de muitas fontes bancárias que discutiram a moeda digital, o conceito do dólar digital sugere diretamente a descentralização do poder sobre o dinheiro.

Embora pare de reivindicar que os bancos centrais devam perder sua capacidade de controlar moedas nacionais, Giancarlo, no entanto, argumenta que, ao evitar a moeda digital, os EUA devem enfraquecer o apelo do dólar. Ele avisou:

“Atores significativos, incluindo bancos centrais e plataformas de mídia social, podem lançar novas moedas nos próximos anos. À medida que suas redes crescem, eles podem acabar com o status do dólar como a moeda mais popular para o intercâmbio internacional.”

Conceitos alinhados

A teoria concorda com os proponentes do Bitcoin (BTC), com o livro da Saifedean Ammous “The Bitcoin Standard” também observando que as moedas de reserva global vêm e vão a intervalos regulares.

Para Ammous, no entanto, a razão disso está ligada ao mau manuseio da moeda pelo governo, incluindo a intromissão na sua emissão e valor. Deixando o padrão-ouro, ele afirma, praticamente garantiu o destino das modernas moedas fiduciárias, incluindo o dólar.

Vale lembrar que, anteriormente, Giancarlo disse que espera que 2019 se torne o ponto de partida para uma resposta internacional concertada às autoridades reguladoras de criptomoedas.

Mesmo que, em partes, a ideia não corresponda integralmente à ideia por trás do conceito de moeda descentralizada, é uma proposta interessante, principalmente por ter partido de alguém com tamanha relevância para o mercado. Resta saber o que o governo dos EUA acha da ideia.